Simulação de 1000 anos: Parte II Dos 250 aos 500 anos

Simulação de 1000 anos: Parte II Dos 250 aos 500 anos

Relembrando os primeiros 260 anos, o FC Porto assumia-se destacadamente como a maior potência, não só nacional, mas especialmente a nível internacional, com 110 troféus da primeira liga, 13 Ligas dos Campeões, 10 Campeonatos do Mundo de Clubes, 97 Supertaças, 83 Taças de Portugal e 66 Taças da Liga. De seguida, o Sporting CP, que somava 5 Champions no seu palmarés, e no último lugar do pódio, o SL Benfica que caiu vertiginosamente e estava já a 19 títulos dos Dragões, contabilizando apenas 3 troféus da maior competição a nível europeu (1 em 260 anos). No entanto, não eram os únicos grandes, a estes juntavam-se Vitória FC (Setúbal) com 36 troféus da principal competição Portuguesa e 2 Ligas dos Campeões e Nacional da Madeira, que acabava o primeiro quarto da simulação em grande, com 7 Ligas e 1 Liga dos Campeões.

Em 2279 manteve-se a tradição, nova festa nos Aliados a celebrar 111º título Portista, mas que seria palco de apenas outro festejo nessa década, dominada por Vitória FC com 7 troféus e que terminaria com um novo campeão, o Torreense.

No jogo de consagração, curiosamente na Arena José Maria Pedroto, casa do ainda campeão FC Porto, todos os jogadores seguiram a tradição de Torres Vedras, vestiram-se de mulheres e humilharam os locais por 4-0.

No dia seguinte, as capas dos jornais não deixaram de enaltecer o feito das matrafonas.

Até 2345, ano de novo título do conjunto de Torres Vedras (após 17 pódios!), concretizou-se também a primeira descida do Sporting de Braga na simulação, no ano de 2289.

Quanto a títulos nesse período, só os 4 grandes figuraram na lista de vencedores, mas a vantagem azul e branca para Sporting e Benfica estava agora reduzida a 4 e 5 troféus, respectivamente.

O Descalabro Portista

O título de 2337 marcava o princípio de uma era nada feliz para os Dragões. Uma sucessão de classificações nada prestigiantes, atingiram o seu expoente máximo com a descida à segunda liga no ano de 2400, regressando de imediato no ano seguinte, após fácil conquista do segundo escalão.

Durante esse período totalizaram apenas dois pódios e perderam por completo o comboio dos títulos.
Numa fase inicial o Torreense substituiu os Dragões na luta por troféus, adicionando múltiplas conquistas ao seu palmarés.

Vitória FC, Odivelas e Sp. Espinho também iam tentando importunar os grandes Lisboetas, sendo que os Espinhenses conseguiriam mesmo deixa-los desnorteados e alcançariam o almejado troféu por três ocasiões, entre 2363 e 2382.

Ainda antes da descida do FC Porto, o Belenenses que nunca tinha sido despromovido, passou da Primeira liga, para a Segunda em 2368 e Campeonato de Portugal em 2389.

Na próxima página, campeonato a dois, que passa posteriormente para domínio total de uma equipa!

O que tens a dizer sobre isto?